quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Sorriso de criança


Clique na imagem para amplia-la.

Recebendo a Graça

Há uma forte crença em nossa cultura de que você não pode receber nada de graça. É por isso que é tão dificil aceitarmos a verdade da bondade de Deus, que não merecemos. No fundo de nosso ser, somos tentados a crer que precisamos fazer algo para mantermos um relacionamento com Deus.
A mensagem da graça causa um impacto, não somente em seu relacionamento com Deus, como também em outras pessoas. Quando você tem a íntima certeza de que nada pode ser feito para merecer o favor de Deus, e que Ele oferece, de graça; amor e bondade, você é livre para levar a graça aos outros.
Passa também a entender que as diferenças exteriores, tais como sexo , raça e classe social não são qualidades próprias para determinar o relacionamento entre as pessoas.
Você pode viver na liberdade de saber que somos todos pecadores redimidos para amarmos e servirmos a Cristo e uns aos outros. Devemos usar a liberdade que Deus nos dá, não; para satisfação dos próprios desejos, mas para servirmos uns aos outros em amor.
(Fonte:Biblia da mulher)
Que neste final de ano você tão somente viva como um agraciado repartindo a graça de Deus com outros.

[REVERBERADO]

Fonte: Blog da Mulher Cristã

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Reencontros

- Eu nem acredito que você está aqui, meu neto!
Assim falou minha avó enquanto me abraçava e se emocionava. Um abraço daqueles que não vemos nem em filmes, abraço de ternura ao quadrado, onde a alegria do reencontro embarga as palavras e a nossa comunicação passa a ser apenas através dos olhos. Ao fundo, minha mâezinha não se importava em reter as lágrimas que percorriam o seu rosto ao ver o lindo quadro que há cerca de 20 anos não se repetia. Isso mesmo, cerca de 20 anos sem que o neto abraçasse sua avó.
Logo, minha mãe lhe trouxe um leitinho quente, pois depois dos 80 anos, com o atenuante de viver sob cuidados especiais por possuir uma má condição cardíaca, experimentar emoções fortes, mesmo que sejam emoções boas e tão desejosas como estas de reencontros, não é recomendável.
Sou grato a Deus, por possuir família e saber minha raiz. Sou grato a Deus por conhecer minha história e ter afeição por ela.
Durante toda a vida, morando na região do Distrito Federal e cidades de entorno, sempre encontrei argumentos suficientes, pelo menos para mim mesmo, para não ir até Parnaíba, litoral do estado do Piauí, para visitar minha avó materna, meus tios e primos. Todas as desculpas foram invalidadas desde que meus pais fizeram o caminho de volta do retirante nordestino, o que fez com que minha viagem ao estado natal, deixasse de ser apenas uma possibilidade, para ser uma necessidade.
Como é bom reencontrar abraços já esquecidos e descobrir sorrisos de parentes nunca antes vistos.
Como é bom ver seus pais brincarem de serem rabujentos um com o outro. Como é bom ver sua nova sobrinha, toda faceira e cerilepe, correndo pela casa. Como é bom ver seu sobrinho experimentar as "difíceis" mudanças e cobranças da adolescência. Como é bom ver sua irmã continuar sendo a "sargenta" da casa. Tudo isso me faz pensar que por um momento, tudo voltou, todo aquele colorido da infância e toda aquela singela sensação de segurança, de que está tudo bem, de que você está em casa. Mesmo que seja do outro lado do Brasil, num calor de mais de 35 graus e mesmo que depois que casemos, a casa de nossos pais não seja mais a nossa casa, ainda é um porto seguro.
Todas essas boas experiências que tenho tido aqui, são mais alegres e plenas pela possibilidade de compartilha-las com minha linda Lívia. Como é bom ter algo para compartilhar com quem se ama.

Jesus veio nos lembrar isso, que apesar dos fardos ou das tempestades, que apesar das angústias e das perseguições, existe um lugar preparado para nós. A casa de nosso Pai. Não somos órfãos no universo, possuímos um lar, e quando chegarmos lá, abraços de ternura não nos faltarão.

"Não se perturbe o vosso coração! Crede em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, eu vos teria dito, pois vou preparar-vos um lugar, e quando eu me for e vos tiver preparado um lugar, virei novamente e vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais também vós."

sábado, 12 de dezembro de 2009

A gente só dá o que tem, e todos tem algo a dar


"Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou."
Todos conhecem bem a história do homem coxo de nascença, que esmolava à porta do templo chamado Formosa, curado por Deus através dos apóstolos Pedro e João.
A Igreja "primitiva", foi conhecida entre outras coisas, pelo seu compartilhar de bens e provisões. Neste episódio, se tivessem, certamente dariam dinheiro para o homem pedinte. Graças a Deus que não tinham.
...
"Meu filho, a gente só dá o que tem!"
Minha mãezinha sempre me dizia isso quando percebia que eu enegrecera minha mente com raiva por algum dano recebido. Sempre quando ela percebia que a moeda do bateu-levou me alcançara, ela me repetia essa frase, mostrando com sabedoria, que o mal que eu recebera, não poderia devolver, pois ele não habitava em mim. Por tanto, cabia a mim perdoar e seguir em diante.
Esta lição só foi aprendida por mim, pela insistência de minha mãe ao repeti-la quantas vezes fosse necessária. E principalmente, porque ela vivia o que pregava.
...
Voltando ao exemplo dos apóstolos citado acima, reflito sobre a Igreja "moderna":
Hoje, temos ouro e prata, e é só isso o que temos. E mesmo assim, nem isso damos, pedimos.
...
Graças a Deus, a última frase é um fato recorrente em apenas uma parte da Igreja. As perguntas que me surgem são: "Se ocorre com parte de nós, não é problema nosso?" "Não é como se ocorresse com todos nós?" "Não seríamos nós responsáveis?" "Não seríamos nós uma família?"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

As Leis Vs o Evangelho-Amor

As vezes sinto vontade de puxar a barba de Paulo (se é que ele tinha). Sinto vontade de chama-lo para uma roda de capoeira, onde eu pediria pro berimbal tocar são bento grande, e assim eu lhe mostraria, diversas vezes, a sola do pé. Imagino-me dando-lhe vários petelecos e outros tantos pedala-robinhos. Mas aí, a razão de novo me absorve, o sentimento de ira se transforma em vergonha e percebo que o pontapé que quero dar no apóstolo, possui destino em outras bundas.
Entendo que o sentimento descontente que as vezes me inflama, vem de cenas e falas reproduzidas por outras pessoas, conteporâneas minhas. Pessoas que insistem em cita-lo para defender seus malfeitos, covardias, tolices e até devaneios.
Percebo então, que em mim há também covardia, pois é mais fácil encarar a Paulo, do que a milhares.
Do que esse cara tá falando? (Você deve estar se perguntando, ou náo.) Falo da impaciência que me alcança todas as vezes que vejo um evangélico com a Bíblia ao punho, citar uma carta paulina para defender o "nosso" direito de reivindicarmos questões, as quais, Jesus nem sequer mencionou. Na verdade, as desprezou e mesmo assim, submeteu-se a algumas delas. Falo das questões legais que nos regem.
Jesus pagou o imposto, mesmo mostrando para Pedro que o imposto cobrado era indevido. Jesus calou-se perante Pilatos, mesmo sendo inocente. Nestes dois casos, Jesus submeteu-se. No primeiro, para não gerar escândalo desnecessário. No segundo, para cumprir sua missão.
Em contrapasso, Jesus não hesitou em quebrar leis e costumes que engessavam o entendimento do evangelho. A sua anarquia celeste quebrou a maior de todas as leis naturais, a lei natural da morte, onde todos morrem e quem morre, morto permanece. Jesus Cristo não só ressuscitou, como depois disso, nunca mais morreu!
Paulo por sua vez, era culto e instruído, conhecedor das leis e costumes de vários povos. Paulo usou este conhecimento, para pregar sobre o "deus desconhecido". Apoderou-se de sua prerrogativa de cidadão romano, para ser enviado à Roma. Utilizou-se de sua escola doutrinária, para ser ouvido pelos judeus em várias sinagogas e praças. Paulo tinha um curriculum e não hesitava em usa-lo (aqui é um dos pontos que meus conteporâneos usurpam). Sabia os caminhos das liberalidades legais e por eles, obtia as saídas e as entradas que melhor lhe convinhessem para pregar o Evangelho.
Com tudo, o que poderia desassemelhar Paulo, de Jesus, na verdade o faz um discípulo fiel. Paulo, assim como o Mestre Jesus, sabia das leis e as cumpria desde que os propósitos de Deus não fossem prejudicados. Eram subversivos até o tutano!
O Evangelho não se submete, não negocia. O Evangelho salva e por isso transgride. A constituição não suporta nem nunca suportará o Evangelho em sua totalidade. A lei de Moisés, está inserida no Evangelho, contudo, também não o abrange em sua amplitude. Todos os termos, leis e tratados ditos e escritos pela humanidade, são sucumbidos com apenas o sobrenome do Evangelho: Amor.
O Evangelho convida o cristão à este nível de anarquia: Ao descumprimento de toda lei que transgredir o Evangelho de Cristo. Quase que paradoxalmente, ele atribui ao cristão, o pesar da submissão à todas as leis, mesmo que injustas, desde que estas, repetindo, não transgridam o Evangelho.
O cristão deve ter o entendimento de que as leis que nos regem, como a constituição brasileira, tornam-se descartáveis quando opostas à Lei do Amor deixada por Cristo, leia-se o Evangelho.
O Evangelho nos convida a subversão!
A leitura descuidada, entenderia que é permitido ofender, denegrir, difamar, mentir, enganar, corromper, irar, machucar, torturar, extorquir, roubar, prostituir, estuprar, explodir e matar em nome de Deus.
GRITO QUE NÃO! Não é isso que as linhas acima dizem. Principalmente, porque as ações citadas, ferem a lei do Evangelho de Jesus Cristo. Ferem a incondicionalidade da ordenança maior de Amar.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Vocação

Quando alguém se converte a Cristo, para de sofrer...

Por si!

Quando alguém se converte a Cristo, passa a sofrer...

Pelo outro!

Quando alguém se converte a Cristo, em tudo, passa a dar graças...

Por si!

Quando alguém se converte a Cristo, passa a se sacrificar...

Pelo próximo!

[REVERBERADO]

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O Evangelho pode transformar um homossexual em heterossexual?

Poderia o Evangelho de Jesus Cristo transformar um homossexual em heterossexual? Um travesti em um homem casado com uma mulher?
Essa é uma pergunta que a muito tempo tem levantado polêmica na cristandade e também, em toda a sociedade. Os três videos abaixo, mostram Silas Malafaia entrevistando Joide Miranda, um ex-travesti que hoje é casado e missionário de uma igreja batista.
Eu particularmente, acredito que o Evangelho de Jesus Cristo pode exercer toda e qualquer transformação pelo amor de DEUS.

Parte 1


Parte 2


Parte 3



Em seu blog, Joide Miranda exibe as suas fotos de antes e depois de Cristo. Clique aqui para ver as fotos.

Espero que os meus amigos apologéticos e ou não simpatizantes do Malafaia, vejam os videos. Pois, acredito que os videos possuem um conteúdo bastante interessante para reflexão e debate.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Meu amigo E.T.


O que você faria se um E.T. lhe abordasse na rua e lhe interrogasse sobre uma passeata contra o PLC 122/2006???

Punk não é mesmo? Bom, tentei abordar esse encontro inusitado com bom humor, propondo uma reflexão sobre esse projeto de lei tão discutido.

A partir desse encontro (imaginário) podemos também, refletirmos sobre coisas que fazemos no nosso dia-a-dia. Se um E.T. nos perguntasse o porque de fazermos tais coisas, o que responderíamos?

Essa estória foi dividia em três episódios, já publicados no nosso outro blog. Confiram:

Episódio 1

Episódio 2

Episódio 3

Pra quem não sabe direito o que trata o PLC 122/2006. Bom, os episódios não têm a pretensão de explicar. O google está aí pra isso. RECOMENDO.
Fonte da imagem

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Cadê os Caras-Pintadas?


- Cadê os "Caras-pintadas"? Cadê os incoformados desse país? A população tem que se juntar e metralhar toda essa corja da câmara e do senado!!! Eles roubando e agente se ferrando!!!
Assim vociferou o motorista da lotação que me levava ao trabalho essa semana. Cheio de indignação e abastado de sentimento de impotência e frustração, ele esbravejava sobre os últimos escândalos da política do Distrito Federal, onde o governador José Roberto Arruda e outros políticos distritais, entre eles o presidente da câmara distrital e o corregedor da mesma, foram flagrados recebendo dinheiro ilícito do ex-secretário de relações institucionais, Durval Barbosa.
Como cidadão, ele está repleto de razões para se indignar e reagir cobrando a punição de todos os envolvidos. Seria melhor ainda, se como cidadão, ele pelo menos soubesse em quem votou nas eleições passadas. Infelizmente, essa indignação apesar de ser exposta e reverberada em todos os botiquins de Brasília e região, não ultrapassa as fronteiras da apolitização, da descrença, do sentimento de impotência, da apatia e até, de um certo cinismo, já instaladas nos brasilienses. A raiz disto, deve-se ao fato de estarmos, mais do que quaisquer outros cidadãos brasileiros, expostos diretamente à lixeira moral que está impregnada em nossos governantes. Daqui, sentimos a podridão de perto, vemos o nosso maior jornal impresso, o Correio Braziliense, ser omisso em vários momentos de nossa política, pois os valores altíssimos de anúncios pagos pelo governo, lhe amordaça, lhe domestica. Aqui, histórias mais fétidas do que as das imagens dos videos mostrados, são compartilhadas no dia-a-dia por quem vive nos bastidores do poder. As cenas mostradas não são nenhuma novidade para a população distrital, muito menos para os políticos que por sorte e ou ocupação em outros mensalões, não apareceram nessa emboscada da policia federal.
Em 1992, eu estava com 13 anos de idade, cursava a 7ª série do primeiro grau do ensino médio. Morava no Gama, cidade satélite de Brasília - DF, estava vivendo na periferia da efervescente política estudantil da capital brasileira.
Sem dúvidas eram outros tempos. Éramos movidos por outras paixões e outras ideologias, mesmo que subjugados pelo mesmo espírito corrupto da política e empresariado brasileiro.
Sob risco de ser trucidado, gostaria de mostrar o outro lado de uma falácia: "Os Caras-pintadas tiraram Fernando Collor de Melo da presidência da república." Fico extremamente incomodado quando vejo a mídia divulgar esse logro Brasil a fora.
Como eu disse, eram outros tempos. Naquela época grêmios estudantis eram criados com consciência política e idealista, ingênua, mas idealista. Esses pouquíssimos estudantes mais ativos, encabeçavam e inflavam os demais. Mesmo assim, eram poucos os que de fato eram comprometidos e politizados, a maioria esmagadora dos estudantes aproveitava-se do movimento para matar aulas, paquerar, tomar cachaça e fumar maconha. É óbvio que uma manifestação de massa, apresentada de forma organizada, criou uma pressão sobre os políticos da época. Contudo, a organização das passeatas apenas tinham os alunos como testas-de-ferro. Os professores e diretores dos colégios, radicalmente petistas na época, eram de fato os mentores do movimento. Éramos interrompidos em sala de aula com avisos de que haviam ônibus nos estacionamentos dos colégios, para levar os alunos que quisessem participar da manifestação na esplanada dos ministérios e que depois nos trariam de volta. Os alunos que não quisessem ir, ficariam em sala de aula fazendo um trabalho (que não valeria ponto algum) ou seriam dispensados para suas casas. Oras! Éramos jovens criados ao som de Cazuza, Legião Urbana e Lobão. Quando os docentes explicavam o que significava impeachment e que deveríamos participar da passeata, nossos hormônios confundiam nossos cérebros e ouvíamos apenas "bagunça no ônibus!"
Juntando essa massa organizada, (na verdade, uma boiada alienada bem conduzida) com o poder da imprensa que insistia em dizer que toda a população, representada pelos Caras-pintadas queriam o impedimento imediato do presidente, os políticos da época, realmente se viram acuados e impelidos a quebrarem as caras alianças com o governo e votarem no impeachment de Collor.
É sabido também que tal pressão social, só obteve tamanho impacto, porque Collor estava num processo absolutista, onde não estava mais agradando aos partidos aliados e oposicionistas com a distribuição de ministérios e secretarias públicas, como hoje é feito de forma farta e banqueteira. Não que ele fosse incorrupto, o que ocorreu foi que não queria dividir o bolo, nem queria ceder pressões dos opositores de ocasião. (Um surto fatal de imperador lhe acometeu)
Tudo isso me veio a mente novamente, quando vi na televisão, manifestantes invadindo o plenário. Com bandeiras amarelo-rubras em punho, e uma paixão violenta e notóriamente esquerdista, me pergunto porque a imprensa não diz logo que foi uma invasão de partidários do PSOL? Partido que hoje, meio que simboliza o PT de 17 anos atrás. Receio que queiram forjar outra manifestação atribuída à população.
Com todo esse discurso, não quero desmerecer o valor do movimento dos Caras-pintadas nem da recente invasão. Quero apenas dizer e mostrar, que o povo continua inerte e que as mobilizações ainda são mentorizadas pela esquerda brasileira.

Minha geração cresceu ouvindo que "política e religião não se discute". Talvez por isso, estejamos vendo tantas mazelas na câmara, no senado e em nossas igrejas.
Devemos lembrar que o início do combate a corrupção acontece em nós mesmos, como bem ensinou Jesus Cristo: "Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão."

Por ter me alongado muito, não entrei aqui no assunto dos evangélicos envolvidos. Isso será assunto para um outro post.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Igreja Gay: Uma vergonha para os evangélicos!

Semana passada, no dia 27 de Novembro, uma das rádios evangélicas de maior popularidade do Brasil exibiu um debate sobre homossexualismo. Entre os participantes estavam o Pr. Silas Malafaia, o Desembargador Fábio Dutra, o Pr. Paulo Afonso, o Pr. Augusto Miranda, o Pr. Paulo César e o Pr. Marcos Gladstone. Este último é líder da Igreja Contemporânea do Rio de Janeiro, conhecida como "igreja gay".

Gladstone é homossexual assumido, e declara ser casado com seu companheiro e também pastor Fábio Inácio.

O debate poderia ter sido muito proveitoso, caso não houvesse alguns momentos desrespeitosos, onde as partes se atacaram mutuamente.

Silas, como sempre, vociferou suas opiniões sem o menor recato, chegando ao cúmulo de referir-se aos seus opositores que assistiam no auditório da rádio como "bonecas". No final, retratou-se, sabendo que isso poderia lhe render uma ação jurídica.

Se todos mantivessem a linha, muitas coisas poderiam ter sido esclarecidas. Oportunidade desperdiçada.

Tive pena do Gladstone. Embora discorde de seus posicionamentos, acho que ele merece respeito, como qualquer ser humano.

Silas disse que não há igreja evangélica gay, nem tampouco "pastor gay". Gladstone, para revidar, afirmou que era pastor reconhecido pela Federação de Teólogos do Brasil (ou algo do gênero).

Um dos momentos mais curiosos foi quando Gladstone afirmou que muitos pastores e filhos de pastores já o procuraram em sua igreja, confessando que eram gays. Não duvido nada! Conheço o caso em que um pastor foi flagrado sentado no colo de um obreiro.

Definitivamente, a igreja evangélica brasileira não está preparada para discutir um assunto tão polêmico como este. Falta maturidade, finesse, e sobretudo, amor.

Por que acho que é uma vergonha para os evangélicos que haja uma igreja gay? Simples. Esta igreja só surgiu para preencher uma lacuna deixada pela igreja evangélica. Se os gays fossem acolhidos em nossas comunidades, a fim de que fossem expostos à Palavra de Deus, eles não teriam qualquer razão para buscar uma igreja dedicada exclusivamente a eles.

Não estou dizendo que as igrejas deveriam legitimar sua conduta. Não! Apenas afirmo que devemos ser mais misericordiosos, compassivos, agindo mais ou menos como nosso Mestre agiria.

Me recuso a acreditar que Jesus os rechaçaria. Também não acredito que Ele estimularia que Seus seguidores se entrincheirassem contra os homossexuais, como tem sido feito.

Tornamo-nos seus inimigos número 1. Como poderemos evangelizá-los? Como poderemos conduzi-los aos pés do Salvador?

Será que somos melhores do que eles? Será que nossa avareza, idolatria, inveja, carnalidade, ocupam um lugar de menor importância dentro da lista de pecados condenados pela Palavra?

Sinceramente, creio que a Igreja deveria se manifestar solidária a todo grupo humano minoritário que buscasse ser respeitado. Sem endossar qualquer que fosse a conduta pecaminosa, deveríamos comprar uma briga pelas prostitutas, homossexuais, seguidores das religiões afro-brasileiras, ciganos, etc.

Te escandalizei?

Pois o Cristo a quem sirvo também escandalizou os religiosos pudicos de Sua época ao colocar-se em defesa da mulher adúltera, desmascarando a pseudosantidade dos religiosos que queriam apedrejá-la.

Tornamo-nos tão diferentes de Jesus. Estamos sempre do lado errado. Do lado dos poderosos, dos mantenedores do Status Quo, dos corruptos, dos salafrários.

Repito: não acho que devemos baratear a mensagem do Evangelho, endossando qualquer conduta que não se coadune com seus valores e princípios.

Porém, acredito que devemos usar de misericórdia, tanto quanto dela necessitamos. Afinal, são os misericordiosos que alcançarão misericórdia.

Ao xingar seus oponentes de 'bonecas', ou 'meninas', Silas Malafaia revelou o lado preconceituoso daqueles a quem ele julga representar. Foi um desserviço à causa do Evangelho.

Nunca vi ninguém se converter no calor de uma discussão.

Se queremos ser respeitados, devemos, antes de tudo, respeitar, mesmo o mais vil pecador. Não somos melhores do que eles.

Que tal se olharmos para nós mesmos como fez Paulo, que considerou-se o principal dos pecadores?

Que tal se deixarmos de olhar para o outro de cima pra baixo, e considerar-nos igualmente carentes da graça de Deus?

Que o Projeto de Lei 122 precisa de ajustes, não resta dúvida. Mas não será com xingamentos e ataques que vamos reverter isso.

O que não se pode negar é que o debate serve mesmo é a interesses políticos daqueles que se fiam na ingenuidade do povo evangélico para se elegerem.

Igreja nenhuma deveria sentir-se ameaçada por qualquer que seja a PL. Faz-se um escarcel danado para que os crentes pensem que a tal "ditadura gay" vai obrigar às igrejas a aceitarem e celebrarem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. E assim, os propineiros vão se elegendo e agradecendo ao deus Mamom pelas "graças" recebidas.

Bem... Esta é minha humilde opinião. Você tem todo o direito de discordar.

Hermes C. Fernandes

[REVERBERADO]

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A lógica da Verdade e a mentira


Só há uma videira verdadeira, isto é verdade.

Alguns ramos serão enxertados, outros cortados, isto é verdade.

Os ramos que forem cortados arderão no “fogo do inferno”, mesmo que este conceito não esteja claramente definido, isto é verdade.

Os ramos que não foram cortados e os enxertados têm a vida eterna, na presença do Pai, isto é verdade.

Os ramos enxertados são aqueles que o Pai escolheu para o seu Filho, isto é verdade.

O Filho nos diz que dos seus não perderá nenhum, isto é verdade.

Afirmar que a videira verdadeira é o sistema denominacional instalado, isto é mentira.

Afirmar que “quem não se submete ao poder eclesiástico denominacional é ramo cortado”, isto é mentira.

O judaísmo diz isso a mais de dois mil anos, isto é verdade.

A ICAR diz isso a mais 500 anos, isto é verdade.

Os evangélicos estão dizendo a mesma coisa atualmente, isto é verdade.

Se eles estivessem certos, só seriam igreja e estariam na vida eterna os judeus, isto é lógica.

Ô povo que não tem olhos para ver e ouvidos para ouvir, isto é mentira ou verdade?


[REVERBERADO]

Imagem


Fonte: Da Graça, a pequena

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Dia do evangélico

Com a intenção de prestar honraria e destaque à esta camada "representativa" da sociedade brasileira, sob protestos de alguns e agradecimentos de outros que amam um feriado (feriado facultativo pelo menos em Brasília), o poder legislativo estabeleceu que 30 de novembro (hoje) "comemora-se" o dia do evangélico.
Há quem diga que mártires protestantes, perseguidos pela "santa" inquisição, iriam olhar com alegria uma data como esta.
Eu particularmente, tenho minhas ressalvas, mas em memória destes, que com sangue e lágrimas propagaram as boas novas de cristo em troca de suas vidas, admito a idéia.
Infelizmente, dizer-se evangélico nos dias de hoje, não significa absolutamente nada! Não significa que o amor e o perdão são as principais características, não significa que a honestidade, benevolência, misericórdia e mansidão acompanham nossas ações.
Hoje em dia, dizer-se evangélico significa "pertencer" a uma denominação (a melhor, a nossa sempre é a melhor) e em conjunto, não mais "pertencer" ao mundo (mesmo que este nos pertença). Essa combinação de entendimento, leva o dito evangélico a agir com uma postura exclusivista e descriminatória, onde mesmo que se negue ao extremo, o pensamento é de que "somos diferentes dos demais!"
Tal pensamento, provavelmente, é oriundo do antigo testamento bíblico, onde os judeus carregam o predicado de o Povo Escolhido e uma vez que nós, povo gentílico, fomos enxertados nessa árvore através de Jesus Cristo, aplica-se assim, a mesma titularidade para todos aqueles que se tornarem crentes. Com isso, o que deveria ser fonte de gratidão e arrependimento, por tal favor imerecido, torna-se um quarteto de orgulho, altivez, arrogância e discriminação por parte dos ditos evangélicos em relação ao resto da humanidade.
Fica explícito pela condução deste texto, que não compactuo com tal pensamento usurpador, nem tão pouco, com as atitudes de pessoas que desta maneira se portam.
Fico grato a Deus por conhecer pessoas evangélicas que me emocionam em seu testemunho de vida e abnegação pessoal. Mas sou grato a Deus também, por conhecer pessoas não-evangélicas que me proporcionam a mesma emoção pelo seu testemunho de vida e abnegação pessoal.
Jesus, o Cristo, veio para nos ensinar várias coisas, uma delas é que o nosso próximo, aquele a quem devemos amar e socorrer, não possue distâncias. Pode ser nosso conjuge como também, nosso desafeto samaritano.
Espero que neste dia do evangélico, possamos refletir sobre a nossa caminhada cristã, que não pode ser exclusivista, pelo contrário, deve ser conciliadora.
Suspeito que os mártires do passado, e os caminhantes do evangelho de hoje, pouco se importam com essa data. Suspeito que os afazeres, não os de Marta, mas os de Maria, preciosamente lhe ocupam a maioria de seu tempo.

Podcast Irmãos.com - A Ditadura da Incredulidade


Saiu o novo podcast dos Irmãos.com!
Neste podcast, Paulinho Degaspari, Adriana Degaspari e Cassiano recebem Zé Libério da Toca do Estudante para trocarem ideias sobre a ditadura da incredulidade estabelecida no ambiente universitário.

"Conheça os tipos de cristãos que chegam às universidades, entenda por que muitos deles enfrentam dificuldades para se adequarem à nova cultura e saiba como começar uma toca do estudante no seu campus."

Esse podcast está muito bacana. O Zé Libério é uma FIGURASSA!

(Duração: 01:16:14)

[REVERBERADO]
Fonte: Irmãos.com

domingo, 29 de novembro de 2009

Boa Vizinhança - Nova seção no blog


Estamos inaugurando aqui no Blog, uma nova seção: Boa Vizinhança.
Nesta nova seção, todos os meses iremos indicar e criar um "banner avatar" (nem eu sei o que é isso direito) de algum blog que acompanhamos.
Pra que isso? Em troca de que? Nada! Sem interesses de reciprocidade. Sem responsabilidade pelo conteúdo do blog indicado. Apenas para exercer uma política de boa vizinhança na blogosfera.
A primeira indicação que irá representar o mês de dezembro-2009, é a do Blog da Claudia, da blogueira (que chique isso) e amiga Claudinha, que já foi mencionada aqui no aniversário dela.
Em seu blog, Claudinha fala o que der na telha, como ela mesma diz. Com a colaboração do seu esposo Osias, o blog discorre sobre a "saga" de uma riopretense em terras capixabas, além de tratar de assuntos diversos.

Fonte da imagem

sábado, 28 de novembro de 2009

SALMOS

Se o Senhor não estivesse do nosso lado; que Israel o repita:
Se o Senhor não estivesse do nosso lado quando os inimigos nos atacaram, eles já nos teriam engolido vivos, quando se enfureceram contra nós; as águas nos teriam arrastado e as torrentes nos teriam afogado; sim, as águas violentas nos teriam afogado!
Bendito seja o Senhor, que não nos entregou para sermos dilacerados pelos dentes deles.
Como um pássaro escapamos da armadilha do caçador; a armadilha foi quebrada, e nós escapamos. (LH: A armadilha quebrou, e ficamos livres.)
O nosso socorro está no nome do Senhor, que fez os céus e a terra.
Salmos 124: 1 ao 8.

Seja Livre!!!! O Senhor Deus, é o teu SOCORRO

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A. W. Tozer

Seguindo duas ótimas indicações do Walter, li dois posts com traduções de textos do A. W. Tozer.
Deixo aqui um trecho de cada um e o link do texto inteiro para que mais pessoas se deliciem.

A absoluta importância do motivo
"Atos religiosos praticados por motivos vis são duplamente maus - maus em si mesmos e maus por serem praticados em nome de Deus. Isto equivale em pecar em nome dAquele Ser que é impecável, a mentir em nome dAquele que não pode mentir e a odiar em nome dAquele cuja natureza é amor."

Oração de um profeta menor
"Aceito trabalho duro e pequenas compensações nesta vida. Não peço um cargo fácil. Procurarei ser cego aos pequenos processos de facilitar a vida. Se outros procuram o caminho mais plano, eu procurarei o caminho mais árduo, sem os julgar com demasiada severidade. Esperarei oposição e procurarei aceitá-la serenamente quando ela vier. Ou se, como por vezes sucede aos teus servos, o teu povo bondoso me obrigar a aceitar ofertas expressivas de gratidão, conserva-Te ao meu lado e salva-me da praga que a isso freqüentemente se segue; ensina-me a usar o que porventura receber de tal modo que não prejudique a minha alma nem diminua o meu poder espiritual. E se a tua providência permitir que me advenham honras da tua Igreja, que eu não esqueça naquela hora que sou indigno da mais ínfima das tuas misericórdias, e que, se os homens me conhecessem tão intimamente como eu me conheço a mim próprio, me retirariam tais honrarias para as darem a outros mais dignos delas."

[REVERBERADO]

sábado, 21 de novembro de 2009

Teologia da Prosperidade FAIL!

Texto acessível:
Deus vai nos dar um Cross Fox vermelho, quem crer diga... Amém!

Evangelho
Você está pregando isso errado


Para que não haja dúvidas: "O erro não é porque o carro é velho!!!"
[REVERBERADO]

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Mesmo sendo igreja, é como indivíduos que vamos à Deus.

"Reagimos, muitas vezes a um tipo de religiosidade e repetimos por obrigação palavras e frases apropriadas, inda que estas não expressem nossos reais sentimentos, porque carecem de autenticidade e de experiência pessoal."

...

"O senso de companhia que erroneamente atribui à presença de Cristo, possivelmente seja fruto da amizade das pessoas. Lembre-se que você não pode carregar sua cruz com outras pessoas. Mesmo que esteja cercado pela multidão, a cruz é só dele e a cruz que ele carrega marca-o como pessoa que vive à parte das demais. A sociedade está contra ele, do contrário não carregaria uma cruz. Ninguém é amigo de alguém com uma cruz. “Todos o abandonaram”.
A dor da solidão é fruto da constituição de nossa natureza. Deus nos fez gregários. Para viver em grupo. Este desejo por companhia é natural e correto. A solidão do cristão é resultado de sua caminhada com Deus num mundo impiedoso. Jornada que às vezes o afasta da companhia de bons irmãos, e também do mundo. O instinto que Deus pôs no cristão clama pela companhia de outras pessoas, por pessoas que entendam seus desejos, aspirações, sua dedicação a Cristo, e, pelo fato de haver tão poucas pessoas em seu círculo de amizade que partilham de experiências profundas, o cristão se vê forçado a andar só.
O desejo anelante dos profetas por compreensão humana levava-os a clamar e a reclamar, e até nosso Senhor sofreu da mesma maneira.
A pessoa que se posta ante a divina Presença e tem uma experiência interior, não será compreendida. Claro que se envolverá na vida social da igreja, porque terá que se encontrar com as pessoas nos cultos, mas encontrará dificuldades em encontrar a verdadeira amizade espiritual. E não pode esperar que as coisas sejam diferentes. Afinal, este cristão é um peregrino e estrangeiro, e a jornada que empreende não é feita com os pés, mas com o coração. Ela anda com Deus no jardim secreto de sua alma – e somente Deus pode caminhar com ele ali. Tal pessoa tem um espírito diferente daqueles que pisam os átrios da casa de Deus. O que ela vê, os demais apenas ouviram; e tal pessoa caminha com elas, à semelhança de Zacarias depois de sua experiência, quando as pessoas diziam: “Ele teve uma visão”.
O verdadeiro homem espiritual é um ente singular. Não vive para si mesmo, e sim para promover o interesse de Cristo. Procura persuadir os demais a entregarem tudo ao seu Senhor, sem se preocupar com o que irá receber em troca. Seu prazer não está em ser honrado, mas em ver seu Salvador glorificado diante dos homens. Seu prazer está em promover seu Senhor, enquanto ele mesmo quer ser negligenciado. Poucos são os que ele encontra que se interessam em conversar sobre o supremo objeto de seu prazer, por isso silencia e se preocupa no meio da multidão ruidosa e interesseira."

...

"É esta solidão que o lança nos braços de Deus. “Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá” (Sl 29.10). Por não encontrar amizades humanas é impelido a buscar em Deus o que não consegue encontrar nos amigos. Aprende em solitude interior o que não consegue aprender com a multidão – que Cristo é tudo em todos, feito sabedoria, justiça, santificação e redenção, e que nele possuímos o sumo da vida.
Duas coisas ainda precisam ser ditas:
Primeiro. O homem solitário do qual falamos não é um ser arrogante e orgulhoso, nem tampouco o mais santo que todos, um santo austero ironicamente satirizado pela literatura popular. Ele sente que é o menor de todos os homens, e se condena por sua solidão. Anela compartilhar seus sentimentos com outras pessoas, abrir seu coração com alguém que o entenda, mas o clima espiritual em que vive não o anima a fazê-lo, por isso permanece em silêncio e conta seus dramas somente a Deus.

Segundo. O santo solitário não se afasta nem ignora o sofrimento das pessoas, gastando seus dias em contemplação empírica. O contrário é verdadeiro. Sua solidão leva-o a sentir empatia aos quebrantados de coração, aos pecadores e caídos. Por viver separado do mundo pode ajudar os que são pelo mundo violentados. Meister Eckhart ensinava seus discípulos que se estivessem em oração e soubessem que uma pobre viúva precisava de alimentos, deveriam interromper o tempo de oração para cuidar da viúva. “Depois você pode recomeçar suas orações onde você as interrompeu. Deus não levará isso em conta”. Este é o comportamento típico dos grandes mestres e místicos de vida interior plena, desde os tempos de Paulo até nossos dias.
A fraqueza de certos cristãos é que se sentem confortavelmente em casa no mundo. Na tentativa de conseguir se ajustar a uma sociedade degenerada perderam sua característica de peregrinos e se tornaram parte da mesma ordem moral contra as quais deveriam protestar. O mundo os aceita e os reconhece pelo que são. E esta é a pior coisa que pode ser dita a respeito deles. Não são solitários nem santos. "

A. W. Tozer

[REVERBERADO]

Fonte: João Antônio de Souza Filho

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A verdadeira manifestação cristã à PLC 122 é o Evangelho

Vendo e revendo tantas teorias do caos, efeito borboleta, aquecimento global e hollywood com suas catástrofes cinematográficas anuais, percebo que o inconsciente coletivo é uma esponja perigosíssima. Principalmente, para nós brasileiros, de cultura inegavelmente sincrética, onde todo evangélico sabe seu signo e onde todo praticante do candoblé sabe o santo católico correpondente ao seu orixá. (já falei disso aqui)
Com todo esse caldeirão de impressões e informações não filtradas e não analisadas, o brasileiro tende a se posicionar a favor ou contra determinadas correntes/situações/pessoas/propostas, meio que sem saber direito porque.
A PLC 122 é a bruxa da vez. A qual muitos estão com suas tochas acesas mesmo sem saber explicar os detalhes de tal projeto de lei, e sem saber como é que de fato, num exemplo prático, alguém pode ser punido através do famigerado projeto.
Imagina-se que o simples manifestar de opinião, discordando do homossexualismo, irá garantir umas boas noites na penitenciária mais próxima.
Segue abaixo 3 videos que contam um pouco do testemunho do grande Macarrão! Que batalha nas ruas de São Paulo. Não contra o homossexual ou o homossexualismo, mas a favor do ser humano.








Esse exemplo do Macarrão me faz pensar também, que uma ótima ilustração conteporânea para a parábola do bom samaritano, seria que em vez do levita e do sacerdote passarem direto, hoje em dia, eles iriam fazer uma grande conferência/curso/palestra/encontro de líderes para decidirem qual seria a melhor ação para ajudar a vítima da estrada. Enquanto que o samaritano...

Fonte: Balaio

sábado, 14 de novembro de 2009

SALMOS


Salmos 43:3 Envia a tua luz e a tua verdade; elas me guiarão e me levarão ao teu santo monte, ao lugar onde habitas.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

NO ESPÍRITO


1 Coríntios 1:18 - 21; 27-29: Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. Pois está escrito: "Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos inteligentes" Onde está o sábio? Onde está o erudito? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação. Mas Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios, e escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o que é forte. Ele escolheu o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, para reduzir a nada o que é, a fim de que ninguém se vanglorie diante dele.
1 Coríntios 2:11-16: Pois, quem conhece os pensamentos do homem, a não ser o espírito do homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece os pensamentos de Deus, a não ser o Espírito de Deus. Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. Delas também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito, interpretando verdades espirituais para os que são espirituais. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente. Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois "quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo?" Nós, porém, temos a mente de Cristo.
Jeremias 29:11: Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês', diz o Senhor, 'planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.

Alguns pensamentos, questionamentos e sentimentos só encontram quietude, resposta e consolo na luz do livro da vida, na LUZ de JESUS e sua doce presença. Presença tão vital e essencial quanto o próprio ar que respiramos, capaz de amolecer a dureza do coração, mudar o modo de enxergar e discernir as coisas do espírito e as coisas da carne.
Quando negligenciamos a busca por essa LUZ e essa Presença, nos tornamos mais fracos, indecisos, inconstantes, imaturos, paramos dentro do barco, não pisamos na água... não vivemos a esperança, o destino, o futuro que só ELE pode nos dar!!

Bem disse um profeta:"É NECESSÁRIO SILENCIARMOS TODAS AS OUTRAS VOZES, E SOMENTE ASSIM OUVIREMOS A VOZ DE DEUS! SOMENTE ELA PODE NOS MOVER.... CONCENTRE-SE E APRENDA A SER GUIADO POR "ELE" NESTE TEMPO, E VOCÊ CHEGARÁ AO SEU DESTINO!"

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A GRAÇA DA GARÇA




Reverberado

A Lanterna do Evangelho


Um homem chamado Salvador entregou uma lanterna para um menino e lhe disse.
- Seus irmãozinhos estão no escuro. Lá no escuro, eles estão sofrendo. Por nada verem, eles não conseguem enchergar a si mesmos. Por nada verem, eles tropeçam e caem. Por nada verem eles não conseguem encontrar o caminho de volta pra casa.
O menino então, disse de pronto:
- O escuro é mal. Vou mostrar pros meus irmãos que o escuro os fazem tropeçar e cair. Vou lhes mostrar que o escuro não permite que eles se encherguem e que por causa dele (do escuro), eles não conseguem encontrar o caminho de volta pra casa.
O homem chamado Salvador voltando-se para o menino mais uma vez disse:
- Quando você ligar a lanterna perto dos seus irmãos eles verão! Eles não irão mais tropeçar nem cair, pois estarãm enchergando com a luz da lanterna. Eles poderãm enchergar a si mesmos com a luz da lanterna. E por enchergarem com a luz da lanterna, poderãm encontrar o caminho de volta pra casa. Por tanto, você não precisa falar dos seus tropeços ou de como eles estão incapases de enchergar no escuro. Pois, quando você ligar a lanterna perto de seus irmãos, o escuro não mais existirá. Foi para isso que eu lhe dei a lanterna.

Briga em família


Esta semana vi um filho chamar seu pai de moleque e inresponsável.
Esta semana vi um pai chamar seu filho de babaca e safado.
Este filho que ofendeu o pai é o mesmo filho que pelo pai foi ofendido.
Estes pai e filho estão dividindo o mesmo teto. Eles não mais se falam.
Estes pai e filho se dizem cristãos. Acreditam em Deus e na mensagem de amor do evangelho de Jesus Cristo.
Mas hoje, estão agindo como aquele tolo que construiu a sua casa na areia. Veio a tempestade e derrubou a casa.
Um precipitado diria: Se assim eles fazem, cristãos não são!
Eu digo que são cristãos. Imperfeitos cristãos. Como eu e você. Digo que estão no processo. E paro por aqui, pois além disso é julgamento.
Este conto não é fictício. Infelizmente.

A tristeza deste post é que casos como este, estão cada vez mais comum na igreja brasileira. Alguns até, se utilizam de bases bíblicas e de aval pastoral. E no domingo a noite, com corações e consciências anestesiados, vão participar da Ceia do Senhor.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Fábio de Melo falando sobre ecumenismo cristão


Neste video Fábio de Melo fala sobre as diferenças entre evangélicos e católicos, sobre Ana Paula Valadão Bessa e sobre o conceito de ecumenismo cristão.

Podcast Irmãos.com - Missão Integral


Saiu o novo podcast dos Irmãos.com!
Neste podcast, Paulinho Degaspari e Adriana Degaspari encontram-se com Ariovaldo Ramos e Ed René Kivitz para explicar o que é e qual a importância de se praticar a missão integral.

O papo está realmente, muito relevante! Abordando um tema-conceito que está me direcionando cada dia mais: "O Evangelho todo para o homem todo".

#74: Missão Integral
(Duração: 00:53:00)


[REVERBERADO]


Fonte: Irmãos.com

sábado, 7 de novembro de 2009

Não sabemos o que é igreja

Igreja não é templo, não é sinagoga, não é mesquita. Não é o santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus. Igreja é gente, e não lugar. É a assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornam crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas; de apáticos que passam a ter sede do Deus vivo; de soberbos que se fazem humildes; de desgarrados que voltam ao aprisco.

Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única coisa não diferente na Igreja é a fé em Jesus Cristo.

A Igreja não é igreja ocidental nem igreja oriental. Não é Igreja Católica Romana nem igreja protestante. Não é igreja tradicional nem igreja pentecostal. Não é igreja liberal nem igreja conservadora. Não é igreja fundamentalista nem igreja evangelical. A Igreja não é Igreja Adventista, Igreja Anglicana, Igreja Assembléia de Deus, Igreja Batista, Igreja Congregacional, Igreja Deus é Amor, Igreja Episcopal, Igreja Holiness, Igreja Luterana, Igreja Maranata, Igreja Menonita, Igreja Metodista, Igreja Morávia, Igreja Nazarena, Igreja Presbiteriana, Igreja Quadrangular, Igreja Reformada, Igreja Renascer em Cristo nem igrejas sem nome.

A Igreja é católica (universal), mas não é romana. É universal (católica) mas não é a Universal do Reino de Deus. É de Jesus Cristo, mas não dos Santos dos Últimos Dias. Porque é universal, não é igreja armênia, igreja búlgara, igreja copta, igreja etíope, igreja grega, igreja russa nem igreja sérvia. Porque é de Jesus Cristo, não é de Simão Pedro, não é de Miguel Cerulário, não é de Martinho Lutero, não é de Simão Kimbangu, não é de Sun Myung Moon, não é de João Paulo II.

Em todo o mundo e em toda a história, a única pessoa que pode chamar de minha a Igreja é o Senhor Jesus Cristo. Ele declarou a Cefas: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16.18).

Não há nada mais inescrutável e fantástico do que a Igreja de Jesus Cristo. Ela é o mais antigo, o mais universal, o mais antidiscriminatório, o mais inexpugnável e o mais misterioso de todos os agrupamentos. Dela fazem parte os que ainda vivem (igreja militante) e os que já se foram (igreja triunfante). Seus membros estão entrelaçados, mesmo que, por enquanto, não se conheçam plenamente. Todos igualmente são “concidadãos dos santos” (Ef 2.19), “co-herdeiros com Cristo” (Ef 3.6; Rm 8.17) e “co-participantes das promessas” (Ef 3.6). Eles são nada menos e nada mais do que a Família de Deus (Ef 2.19; 3.15). Ali, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora. É por isso que, na consumação do século, “eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles” (Ap 21.3).

A Igreja de Jesus, também chamada Igreja de Deus (1 Co 1.2; 10.22; 11.22; 15.9; 1 Tm 3.5 e 15), Rebanho de Deus (1 Pe 5.2), Corpo de Cristo (1 Co 12.27) e Noiva de Cristo (Ap 21.2), tem como Esposo (Ap 21.9), Cabeça (Cl 1.18) e Pastor (Hb 13.20) o próprio Jesus.

A tradicional diferença entre igreja visível e igreja invisível não significa a existência de duas igrejas. A Igreja é uma só (Ef 4.4). A igreja invisível é aquela que reúne o número total de redimidos, incluindo os mortos, os vivos e os que ainda hão de nascer e se converter. Eventualmente pode incluir pecadores arrependidos que nunca freqüentaram um templo cristão nem foram batizados. Somente Deus sabe quantos e quais são: “O Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Tm 2.19). A igreja visível é aquela que reúne não só os redimidos, mas também os não redimidos, muito embora passem pelo batismo cristão, se declarem cristãos e possam galgar posições de liderança. É a igreja composta de trigo e joio, de verdadeiros crentes e de pseudocrentes. Dentro da igreja visível está a igreja invisível, mas dentro da igreja invisível nunca está toda a igreja visível. A Igreja de Jesus é uma só, porém é conhecida imperfeitamente na terra e perfeitamente no céu.

Encontrei este texto navegando e não poderia deixar de REVERBERAR.
Veja também esse video.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Níver da minha Princesa


Hoje é o níver da minha linda princesa. Brasília e região amanheceram com chuva. Um belo lamento por ela não está aqui. Está comemorando o aniversário com os pais, parentes e amigos em São José do Rio Preto.

Beijos mil amore! Deus te abençoe sempre!

T E A M O ! ! !

sábado, 31 de outubro de 2009

UNIDADE

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;
Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.
Nessa nova vida já não há diferença entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, bárbaro e cita escravo e livre, mas Cristo é tudo e está em todos.
Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência.
Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros.
Perdoem como o Senhor lhes perdoou.
Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito.
Colossenses 3:1-3,11-14
A Cara é nova, mas a reverberação será sempre a mesma: UNIDADE dentro da DIVERSIDADE,
não nos esquecendo do AMOR que, como disse Paulo nos versos acima: "é o ELO PERFEITO".
"Cristo é tudo e está em todos."
No amor de Cristo Lika