quinta-feira, 10 de março de 2011

Romaria em Santa Cruz dos Milagres - PI - Projeto Macedônia

Nada no Brasil é uniforme ou monocromático. A mistura e a diversidade que colorem a fauna e a flora deste país tropical, atuam também em nossas normativas sociais, cultura e religião.

Uma das vertentes dessa tamanha diversidade é a adoção, com ou sem adaptação, das influências religio-socio-culturais dos imigrantes estrangeiros que aqui desembarcam. Provavelmente, essa receptividade ao que vem de fora, é uma característica comum de países colonizados.

Entendendo a facilidade do brasileiro em assimilar e adaptar para si o que não lhe é nativo, podemos entender melhor alguns fenômenos sociais que ocorrem em nossa terra. Um deles é a Romaria:

Romaria é uma peregrinação religiosa feita por um grupo de pessoas a uma igreja ou local considerado santo, seja para pagar promessas, agradecer ou pedir graças, ou simplesmente por devoção, podendo ser feita a pé ou em veículos. Na Região Nordeste do Brasil é comum o uso de pau-de-arara para transportar romeiros.
O nome do termo é uma referência a Roma, sede da Igreja Católica Apostólica Romana, e por esse motivo é usada para classificar especialmente peregrinações católicas. Aquele que pratica a romaria é o romeiro.
Fonte: Wikipédia

Naturalmente, o católico brasileiro criou referências locais para peregrinações e exercício da sua fé, uma vez que Roma está distante geográfica e financeiramente da maioria esmagadora dos romeiros: gente simples e modesta, trabalhadores sofridos que empregam todo tipo de esforço para demonstrar sua devoção. Os destinos das romarias em geral, são os locais onde viveram pessoas beatas ou tidas por santas, o que qualifica o local como santo também. O nordeste brasileiro é um grande celeiro de romarias, tendo como a romaria de padre Cícero, no estado do Ceará, a maior da região.

No Brasil, o sincretismo embaraçou o catolicismo com outras religiões, principalmente as de origem africana, que enxertaram no cristianismo católico, dogmas e rituais diversos e antagônicos. Juntamente com essa miscigenação religiosa, o sacramento da confissão, onde o sacerdote "receita" uma determinada quantidade de orações ou rezas como penitência a ser paga pelos pecados cometidos, fizeram do católico brasileiro, um fiel extremamente penitente e sacrificador de si mesmo. O que fez surgir as promessas feitas aos santos, que serão cumpridas caso o fiel seja atendido. Uma espécie de pagamento ou manifestação de gratidão por uma graça recebida.

A promessa pode ser paga de uma única vez ou pode ser de pagamento vitalício. Pode ter sido feita para conseguir uma cura, ou a aquisição de uma casa. Pode ser paga com a simples visita do fiel a um local, ou através de visitas penitentes (andar de joelhos, descalços, carregando peso, etc.). Geralmente, as promessas são pagas em romarias. As vezes, as promessas são pagas por pessoas que não as fizeram. É o caso de país que pedem alguma graça para seus filhos, e os sentenciam a pagarem caso o pedido seja atendido.

Apesar da cultura enraizada, transferida de pai para filho e de geração à geração, ser a principal força motriz das romarias hoje em dia, o mercantilismo impulsiona a perpetuação desses eventos no Brasil inteiro. Hoje em dia, o romeiro tem que disputar cada ladrilho da rua com os ambulantes e os camelôs vendendo todo tipo de lembrança e artefato religioso.

Os romeiros caminham como um povo sem pastor, em total ignorância mas em plena sinceridade, onde acreditam de fato, estarem reverenciando a algo divino com essas manifestações de engano. Desconhecem o benefício da Graça de Deus e ao contrario do que eles acreditam, estão despercebendo o sacrifício salvífico de Jesus na cruz do calvário, não só ao "pagarem" por algo que já foi consumado, mas também, ao creditarem algo a outro que não seja à pessoa de Jesus. O qual, conforme João 14:6, é o único caminho de redenção ao Pai Celeste, a única verdade pela qual devamos morrer, pois é o único que pode nos dar a verdadeira vida.

Oro para que nossos irmãos romeiros sejam iluminados com a Luz que emana do Santo dos Santos, onde não mais temos um véu nos separando da presença do Pai. Oro para que vejam que o caminho foi aberto pelo véu rasgado, isto é o corpo de Cristo partido para a nossa redenção, onde seu sangue nos cobre e nos qualifica para estarmos a qualquer momento na presença do Pai.

Nossos irmãos romeiros precisam ser dádivados com o entendimento em seus corações de que não existem mais locais de romaria, pois o nosso Deus busca adoradores que o adorem em espírito e em verdade. Onde cada um é o templo do Espírito Santo. Com total acesso e sem intermediários ou representantes que não o próprio Cristo. 

E qual é o chamado do cristão em relação a isso? Em relação a sequência de enganos que os pequeninos de Jesus são levados a cometer ano após ano? Acredito que antes de tudo, o cristão é chamado a amar. E é em amor, às pessoas  e ao Evangelho, que o Projeto Macedônia está convidando aos cristãos de todas as denominações, para se unirem em oração, intercedendo para que o Cristo se manifeste a estes sofridos filhos da terra nordestina, que apesar de enganados, são amparados pela misericórdia de Deus assim como todos nós. Para que haja abrir de olhos, quebrantar de corações e despertar de consciência.

Os romeiros não são pessoas que precisam ser combatidas. Paulo já dizia que nossa luta não é contra carne, mas sim, contra as potestades que levam as pessoas a fazerem do mundo um lugar de dores. Os romeiros são pessoas que precisam ser amadas. Precisam da nossa ajuda e oração.

Segue abaixo o video do missionário Rafael convidando a todos para estarem em Santa Cruz dos Milagres - PI, nos dias 14 e 15 setembro de 2011, para juntos nos unirmos em oração e intercessão, onde ocorrerá a maior romaria do estado do Piauí.

4 comentários:

Claudia Freitas disse...

Bom o texto, serve pra ditos cristãos evangélicos que também se envolvem com doutrinas estranhas e com sincretismo religioso.

Principalmente com os que praticam "atos proféticos" como se essa crendice servisse pra conseguir alguma benção ou alguma resposta de Deus.

Mas voltando ao texto muito bom e que abra os olhos de muitos.

Antonio Mano disse...

Sim, Claudia.
Enquanto eu escrevia o texto, foram surgindo na cabeça todos esses péssimos exemplos evangélicos que nós conhecemos bem.
Espero não ter sido tendencioso em não comentá-los, mas é que eu quis manter o foco apenas em romarias.

Claudia Freitas disse...

Achei bom, o foco é esse concordo com vc, mas acredito que o texto deve tocar quem realmente está se questionando sobre tudo o que acontece com a fé evangélica. Eu fico abismada como cada dia mais pessoas aceitam coisas estranhas como verdades espirituais.

Testei... e você??? disse...

Flor!
Estamos te seguindo!
Segue a gente também?!
Temos sorteio, participa!
Obrigada!
Bjus
Ana Ceres e Isangela!
Blog - Testei... e você???
http://testeievoce.blogspot.com/