domingo, 14 de março de 2010

FAZENDO FACUL - EAD


Hi Pipol (rs), sem tirinhas novas (pelo menos por agora), estou aqui para contar uma novidade: estou cursando o 1• Semestre do curso de Bacharel (olha que chique rs) em Serviço Social, estou muito feliz e agradeço a Deus por essa oportunidade, o Mano já não pode dizer o mesmo já que faço dele meu laboratório, sempre comentando e debatendo o que tenho lido e aprendido na faculdade com ele.. em geral esses debates são ótimos, mas como sou uma universitária e estou sendo bombardeada de novos conhecimentos acabo me "sentindo", me" achando" e quase não deixo o lindão falar rsrs (as vezes percebo no olhar e na expressão do rosto dele um pensamento do tipo: "Quero minha mulher de volta" "o que fizeram com ela?").
Como sempre ele é muito educado ouve até o final, revezando as caras e bocas (ora de atencioso, ora de saco cheio ou assustado como eu disse acima), ah! e só pra não deixar de ser meu Mano ele discorda de alguma coisa, se não fosse assim não seria ele, essas discordâncias em geral ajudam a enriquecer o meu aprendizado. OBRIGADO LINDÃO VC É 10!!! (será que deu pra consertar ou vou dormir no sofá hen?)
Então o curso é a distância com 2 aulas presenciais/semanais de 4hs cada:
E quem disse que os cursos superiores a distância (EAD) são "fracos" ou "mais fáceis"?
Está redondamente enganado, rala-se muito pesquisando, lendo os textos complementares enviados pelos professores, dedicando no mínimo 2 horas por dia de estudo autônomo, participando de fóruns, "sugando de canudinho" os professores EAD e o professor tutor presencial , para ter uma boa formação, de qualidade (sem ser como diz o ditado: nas "coxas") tem que se dedicar, tem que correr atrás e complementar seus estudos de forma à compensar os dias que não se está em sala de aula.
E isso não é muito diferente do que se espera do acadêmico do curso presencial, seria "lindo" se todos (acadêmicos presenciais e acadêmicos EAD) se formassem conscientes do quanto é necessário dar continuidade em seu aprendizado tornando-se um pesquisador, que se atualiza e se renova sempre para atuar com competência e conteúdo.
Os acadêmicos EAD nesse sentido levam uma certa vantagem pois, acredito (pelo que tenho experimentado) que será muito difícil ele se formar sem antes se tornar um pesquisador, o que o fará um profissional melhor qualificado.
Posso estar aqui "vendendo o peixe que estou comprando", mas estou falando de algo que acredito por estar vivenciado.
O curso a distância tem seus "prós e contras", ainda há preconceitos que, espero eu, serão superados.
Bom quanto à minha opção de curso, confesso que Serviço Social nunca foi nem a minha terceira opção de curso, mas buscando me formar e buscando algo financeiramente mais acessível , pesquisei a respeito do curso e este se encaixou com meus ideais, com meu bolso e com meu tempo, espero sim me formar com nota 10 e poder fazer o melhor (parece campanha política né... : "prometo dar o melhor de mim se eleita for..") rsrsrs e ao contrário de alguns que ainda vêm o serviço social como obra de caridade e o assistente social como "a moça(o) boazinha(o) que faz boas ações", quero sim ser uma boa moça(senhora casada), fazer boas ações, mas quero também ir além da caridade e fazendo com que todos e todas tenham acesso aos seus direitos, de uma vida digna, uma vida melhor (não vou sair nas próximas eleições i promess rsrs).
Ainda não sei exatamente em que campo atuar, mas tenho pretensão de dedicar-me a familia e me especializar em psicologia social, terapeuta familiar ou algo do tipo.

Prá quem tem interesse do curso segue ae algumas informações:

O Assistente Social é um profissional qualificado que faz uma intervenção investigativa através de análise e pesquisa social, ele atua na formulação, execução e avaliação de serviços, programas e políticas sociais para garantir, ampliar e defender os direitos e a justiça social. Ele atua em organizações públicas, empresas privadas e organizações não governamentais.
Neste "tempo de divisas, tempo de gente cortada" (Carlos Drummond de Andrade) devemos nos fazer sentinelas, guerreiros, ferozes e vorazes na luta pelos direitos humanos.

Antônio Oliveira Franco - Fonte: Amambai Educa

3 comentários:

Claudia disse...

Olha, vou te contar um segredinho, eu já pensei em fazer esse mesmo curso e o Osias quase teve um ataque histérico tá, mentira mas ele tem pavor de assistentes sociais não sei o motivo AINDA, mas ele e a familia não podem nem ouvir esse nome.

Segundo eles tanto no curso de assistência social como no de pedagogia e biblioteconomia a gente tem que estudar os módulos "mal amada I e II".

Vai entender...

Antonio Mano disse...

Gostei do post meu amor.. bem divertido.. rs.. desculpa pelas caras e bocas .. não estava me dando conta.. rs.

Amambai Educa disse...

Olá Lívia. Fiquei feliz ao ser citado em seu blog. Espero poder contribuir sempre.
Quanto ao ser mal amad@ (o que não foi dito por você), creio que não é verdade, devemos legar em consideração que cada pessoa é única, singular, subjetiva e o meio e os problemas que nos cercam, às vezes, modificam nosso humor e atitudes, mas o que não devemos fazer nunca é desrespeitar o nosso Código de Ética.